quarta-feira, dezembro 16, 2015

PARECE UM FILME, MAS É SÓ A VIDA TE DANDO UMA RASTEIRA...

Muitas vezes, quando estamos desesperados por algum acontecimento, temos a pungente necessidade de querer desaparecer. Pelo menos enquanto o que é aguardado com tanta ansiedade não acontece.
Eu sou uma dessas pessoas.
Fico presa a um pensamento e não consigo me livrar dele, daí que nada mais faz tanto sentido, e eu meio que bloqueio qualquer outro sentimento que não seja me enfiar debaixo de uma toca e desaparecer.
Não sei se acontecesse com todo mundo essa vontade de sumir de vez em quando, mas comigo é constante.
Esses dias têm sido assim: fico ruminando pequenas coisas, que na verdade se tornam muitas, e só penso " ahh como seria bom desaparecer, pegar um avião e ir para outro país bem inóspito e ficar no meio do nada.." É óbvio que os problemas não desapareceriam, mas a sensação que dá é que iriam, e isso já é uma grande coisa.
Eu sei que todo mundo tem lá seus problemas, e quando comparamos esses problemas com o que acontece na Síria por exemplo, nos sentimos ridículos. Mas a vida é assim, cheia de pequenas coisas ridículas. E de pessoas ridículas que povoam o planeta para fazê-lo um lugar desgraçadamente mais engraçado, talvez, não sei. Mas somos egoístas e eu assumo meu lado egóico. Quando estou com algum problema, o mundo pode estar desabando, mas os meus problemas são mais importantes que o mundo. E cá entre nós, todo mundo é assim.
Ficamos arrasados com o problema dos refugiados, mas se temos uma conta para pagar e estamos sem dinheiro, nossa prioridade mundial é conseguir o dinheiro para pagar a conta e não resolver a questão humanitária.
Portanto, eu, que nesse momento vivo um período angustiante, me permito ser menos hipócrita e dizer que só consigo pensar nos meus próprios problemas.
E por conta disso, não tenho escrito com tanta frequência, afinal vou ficar me lamuriando o tempo todo, e isso é chato pacas, bem sei.
Ao mesmo tempo, vejo que tem pessoas que passam todos os dias por aqui, e fico com dor no coração de não ter a menor condição de escrever algo que seja positivo para as pessoas lerem. Mas daí também penso que as pessoas que me leem sabem da minha sinceridade, então ficar escrevendo coisas fofas quando se quer mandar tudo para o inferno, decididamente seria muita desfaçatez da minha parte.
Então combinamos assim: eu vou continuar escrevendo dessa forma enquanto meu inferno astral continuar, e vai lendo quem quer. Na verdade é muito positivo e libertador falar a verdade, ainda que doa, ainda que liberte sentimentos desconhecidos, sentimentos que achamos não estarmos prontos para vivenciar. Mas acredite, cada dia é uma batalha e estar de saco cheio faz parte dela, assim como querer abandonar o navio também.
E isso não nos torna vilões de nossa própria vida ou covardes.
Nos mostra que somos simplesmente humanos, e que a vida as vezes é realmente muito dura, por isso precisamos sermos honestos com nossos próprios sentimentos. Ainda que doa.
Ninguém vai sair por aí querendo cortar os pulsos, vamos simplesmente parar de achar que a grama do vizinho é mais verde porque ele sempre posta fotos maravilhosas na sua rede social. Todo mundo sabe que é uma vida de fingimentos, porque pelo amor de Jesus Cristo, não existe um ser humano que não tenha problemas em sua vida. Eles só fingem melhor provavelmente.
Fica muito duro olhar para estas pessoas e incluí-las em nossa lista de referencias. São mundos completamente diferentes. Acordar e ter que se preocupar apenas com o look do dia, maquiagem e cabelo não condiz com a realidade de 90% da população. Somos maioria.
E pense comigo que vida intelectual zerada esse tipo de gente vive.
O que vamos levar dessa vida, o que vai permanecer eternamente conosco, são nossos aprendizados, e isto está de maneira relevante nos livros, na música, no cinema, na arte. Essas pessoas são incapazes de citar um autor respeitado ou algo de importante de fato que nos faça refletir sobre a nossa própria vida. São simplesmente futilidades.
Claro que se tivéssemos tanto dinheiro quanto elas tem, talvez nos permitíssemos sermos um pouco fútil também, mas somos o que somos, e nossa busca por algo maior certamente seria a mesma. A diferença é que teríamos mais recursos para isso.
De qualquer maneira, não se sinta inferior por ter vontade de mandar o mundo as favas por ter problemas em sua vida e ver tanta mediocridade ao seu redor.
Faz parte da vida conviver com os medíocres.
Se descabele, chore com vontade(no chuveiro é bem melhor), grite, diga palavrões e se permita ser um tanto quanto ridícula e amarga.
Em algum momento vai passar e isso será apenas a lembrança de algo que foi enfrentado com toda dignidade que um desesperado pode ter no seu dia from hell.




Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...