sábado, dezembro 19, 2015

CONSUMINDO COM CONSCIÊNCIA: MODA QUE VALE A PENA

Antigamente eu era uma fiel adepta das revistas de moda, assim como de lojas fast fashion. Consumia sem ter muita noção da quantidade e da qualidade também. Na verdade isso é bem comum, porque acabamos sendo estimulados a consumir desde sempre. São novelas, revistas, desfiles, celebridades, blogueiras, um universo grande de influências sem fim nos induzindo a ter sempre mais, como se isso nos definisse.

Com o passar dos anos, conforme me endividava para pagar as contas do cartão de crédito, fui percebendo que esse caminho estava errado, porque aquela sensação de sempre não ter a roupa certa ou conseguir ter uma vida útil para as peças, era frequente.
Passei a observar melhor meu guarda roupa. Tomei a decisão de fazer uma limpa no armário e doar tudo o que eu não usava, ainda que fosse peça nova, porque se você olha para a roupa mais de 5 vezes e nunca encontra utilidade para ela, doe.

Diminuído o armário, fui atras de peças em brechós que casariam com as roupas que eu tinha mantido e tive o cuidado de buscar só o necessário, nada que fosse tendência, só o que pudesse permanecer por todas as estações. Me mantive principalmente atenta a escolher aquilo que melhor definia a minha personalidade. Ainda que uma blusa cor de rosa lindíssima esteve disponível, eu sabia que jamais usaria rosa, portanto estaria sendo movida apenas pelo impulso. Parece fácil, mas é um exercício que exige disciplina.

Mudei minha forma de consumir e enxuguei meu armário, mas ele ficou a minha cara e não vi necessidade de sair comprando peças aleatoriamente como fazia antes. Os brechós passaram a ser meus queridinhos, e descobri pessoas que assumiram o mesmo compromisso que eu e se desafiaram a manter uma quantidade específica de peças em seus armários.

Uma dessas pessoas é a jornalista Daniela Kopsch que decidiu que seu guarda- roupa ideal cabe em uma mala e é composto por 50 peças.
Lançou um blog relatando o desafio, onde consta as 50 peças escolhidas e alguns looks montados com eles. 
Eu não sei quantas peças tenho, fiquei curiosa para contar, mas claro que a ideia é apenas sugestiva, cada pessoa vai saber o que melhor lhe convém.
No facebook há um grupo maravilhoso chamado Trocaderia, onde as pessoas se reúnem para fazer exatamente isso, trocar entre si peças de roupas em bom estado. Você colabora com R$10,00 para o acontecimento do evento e pode levar até 10 peças, dependendo do que é combinado. 

Como esses, existem vários outros sites, blogs e páginas aonde você pode se conectar e realizar compras e trocas conscientes.
Para acessar o blog da jornalista Daniela Kopsch acesse lessisthenewblack.com.br  e você também pode participar da página na internet do grupo com o mesmo nome. 
Um pequeno passo como esse, pode fazer uma grande revolução na nossa maneira de consumir, principalmente se pensarmos na questão do trabalho escravo que o fashion fast provoca, e na quantidade de roupas descartadas todos os dias em grandes lixões mundo afora.
Entre as 50 peças, escolhi a minha favorita no blog de Daniela: a jaqueta de couro, que pode até ser de couro falso, mas sem dúvida é uma das minhas peças curingas favoritas. Por isso postei fotos da Daniela utilizando a jaqueta em looks variados.
Espero que você se empolgue com o blog e principalmente com a ideia de se tornar alguém que compra de maneira mais equilibrada e consciente.

IMG_5533

IMG_5589

IMG_2427


Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...