terça-feira, dezembro 04, 2012

SEMEANDO IDEIAS

A vida é repleta de ciclos que se fecham e iniciam todos os dias.
Nós gostamos de dar nomes e datas numa tentativa tosca de, talvez, torná-los ciclos de fato.
Assim, na passagem do calendário que finda um ano para início de outro, nos mobilizamos em rituais. Alguns são até bem bonitos de ver, como a explosão celeste de partículas coloridas(apesar de barulhentas)clareando a noite e encantando. Mas existem preocupações que permeiam o subconsciente das pessoas e até influenciam o rumo de suas vidas. Por exemplo: não pode passar o ano novo com roupa velha, a cor da calcinha precisa corresponder - vermelho para encontrar amor, branco para paz, amarelo para atrair dinheiro, e etc - e não pode ser usada! Além disso tem entrega de flores para os santos, banho de ervas e sal grosso, comer sementes de romã, e um tanto de outras coisas. Tem gente que faz tudo isso só pra se garantir.
E ainda existe a tal da "lista de objetivos".
Você escreve um tanto de coisas que irá realizar no ano que se inicia. São os ditos projetos de vida.
Mas ainda tem pior: gente que guarda a tal da lista e confere se realizou, ou não, os tais projetos. E quando percebe que não parou de fumar, não fez o curso "X", não mudou de emprego, não mudou de casa, não terminou o casamento ou não casou, se frustra de maneira limitante. Desanima.
E se encarássemos cada dia como o início de um novo?
Não fica mais fácil lidar com um dia de cada vez, do que com 365 de uma vez só? Mas aí não seria Ano Novo. E fica mais confortável voltar às datas e nomes.
Nossa lista deveria ser feita de maneira a dizermos o que temos hoje e, a importância que isso têm em nossa vida.
"Estou com meu marido há 23 anos e ele é mau humorado, ronca, é metódico, etc. Mas ele é importante pra mim porque é meu companheiro de vida, eu o amo, é um pai incrível, etc."
Esta lista é relevante.
Relevante porque é verdadeira.
Se há necessidade de fazer-se um "balanço", então façamos com o que há em nossa vida. Faxina de vida.
Liste o que você tem e porque ainda mantém isso. E se não encontrar sentido em algo, se os teus "porquês" não forem convincentes, tome as rédeas e assuma o controle.
Ficar preso a rituais convencionais e banais faz parte da natureza humana. Mas a gente sempre pode, e deve, fazer o melhor.
Tenho respeito aos credos e afins, mas nosso compromisso com a vida precisa ser assumido.
Com ou sem queima de fogos, calcinha nova e sal grosso.




Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...