quinta-feira, novembro 22, 2012

A RUÍNA DA ALMA

Eu, como toda mulher e homem, sou de fases.
Já vivi a fase cronista otimista, pessimista, mau humorada, emocionada, e tantas outras que não me recordo.
Ultimamente poderia bem dizer que estou na fase terminal.
Não estou me referindo a uma pseudo fase suicida - sou católica espiritualista(sim, isso existe) - portanto, crente em vários dogmas e preceitos, fujo do suicídio como o diabo da cruz. Quero dizer que busco um sossego mental.
Não que deixe de ter dilemas, mas sei que, no momento exato em que optar por aceitar ser aquilo que posso, quero e devo, não mais me desviarei de meu caminho.
Deixar essa decisão(nunca gostei dessa palavra), a cargo do destino é, a meu ver, agir com cinismo. E ser cínico é fingir o tempo todo.Disse alguém que "de um mentiroso se captura a mentira, ao contrário de um cínico".
Não quero agir com cinismo em minha vida.
Eu já escrevi a respeito do tempo, a muito tempo. Outro dia, estava assistindo a uma palestra e ouvi algo que marcou. Quando alguém está no leito de morte, sentindo a aproximação final, não olha para o médico(ou padre, pastor, pajé,etc) e diz: " me dê mais um dia apenas para que eu possa comprar um carro novo!" ou ainda " me dê mais um dia para que eu possa mandar ou humilhar em mais pessoas!". Aliás, nem em filmes de Martin Scorsese já vi cenas assim.
O que de fato o médico deve ouvir é mais parecido com "por favor, me dê mais um dia para eu abraçar meu filho, trabalhei tanto que não tive tempo pra isso" ou " por favor, me dê mais um dia para eu fazer as pazes com a minha mãe, nós discutimos e eu não tive tempo de dizer que a amo."
Sempre o tempo, a falta e ausência dele.
Mas se essa mesma pessoa sobreviver, certamente encontrará tempo para realizar tais coisas, então, o que houve com o tempo? Acaso o calendário não é o mesmo?
O que mudou foram suas prioridades.
Por este motivo, e falo somente por mim mesma, é necessário saber hoje o que eu posso, devo e preciso fazer.
Já no século V Agostinho, também chamado por Santo Agostinho, nos alertava a esse respeito quando dizia que o tempo era relativo. Isso antes de Einstein e sua teoria da relatividade.
Eu adoro ler e a cada dia descubro mais autores geniais.
Vou finalizar essa crônica com uma frase, entre tantas outras, de François Rabelais que diz o seguinte:
" Jamais me submeterei às horas: as horas foram feitas para o homem, e não o homem para as horas."






Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...