quinta-feira, julho 26, 2012

VIDA, TEMPO E VONTADE

Todos os dias quando eu acordo, depois das minhas preces e do banho, fico mentalizando que terei um dia perfeito, conseguirei resolver muitas coisas pendentes, não discutirei com ninguém, e todo aquele blá blá blá mais conhecido atualmente como auto ajuda.
No entanto, nem sempre o dia sai como eu gostaria.
Ou provavelmente, eu não tenho tanto equilíbrio e sabedoria quanto gostaria.
Há um tempo atras eu fui apresentada à minha nova chefe e, num primeiro contato já me tornei fã. Enquanto ela ia falando sobre todos os propósitos de sua contratação e idéias de implementação, eu pensava " uau, que pessoa bacana, vou gostar de trabalhar com ela!" Mas dois dias depois eu já pensava em mil maneiras de jogá-la do 13º andar e até procurei na sebo algum livro do tipo " como eliminar seu chefe sem deixar rastros". Eu não conseguia me entender com a pessoa. E pior, se não bastasse isso, a pessoa designada a ser minha auxiliar também não ia com a minha cara. E nem eu com a dela.
 Minha chefe e a auxiliar? Estas se davam bem, só comigo não rolava.
Um dia, já esgotada de tanto bater boca com a minha chefe e me fazer de muda pra minha auxiliar, apelei para um livro que tenho em casa e que sempre me auxiliou nesses momentos. Abri e li uma página que descrevia nossas imperfeições e limitações. E no final do texto, havia uma espécie de conselho sugerindo a oportunidade para conhecer o outro livre de pré julgamentos.
"Caramba! Que indireta!" falei em voz alta.
Pouco a pouco fui me esforçando para não adentrar nas dimensões dos outros (e assim não me influenciar pelas opiniões, criticas e conceitos alheios) e direcionei minha força apenas para observar e discernir de acordo com o MEU olhar e a MINHA percepção.
E eis que algum tempo depois minha chefe se tornou minha grande parceira no trabalho, e minha auxiliar uma grande e querida amiga.
Claro que provavelmente nós nos conheceríamos melhor mais cedo ou mais tarde, mas o "cutucão" me deu a chance de ver a pessoa maravilhosa e batalhadora que ela é, e fiquei feliz em descobrir isso antes do seu desligamento da empresa. Hoje ela faz parte de um grupo de pessoas queridas por mim, apesar de não estarmos mais trabalhando juntas.
Minha auxiliar, ou melhor, minha parceira e amiga, ainda está lá, e sinceramente, agradeço a Deus por isso, porque é ela que me dá sustentação em muitos dias difíceis, principalmente naqueles em que eu mesma penso em me jogar do 13º andar.
O que aprendi desta história, é que, todos somos DE FATO imperfeitos, e em nossa suprema arrogância, ainda que não admitamos, nos consideramos sempre superiores aos que se apresentam, por qualquer motivo que seja, diferentes de nós.
Somos resistentes, mesmo que bem lá no fundo a gente não queira ser. Mas podemos sempre usar nosso pequeno feixe de luz para iluminar nossa consciência e servir de farol a clarear a escuridão que possa ainda permear a visão do outro.
Não há demérito algum em pedir desculpas e reconhecer que foi falho. E não precisa virar amigo ou amiga de ninguém. Se acontecer, é um bônus,  devemos ser gratos.
Mas saber que somos sóis a iluminar um caminho mais justo e correto para nós e para os outros, é responsabilidade nossa.
Nunca é tarde demais.




Imagens reprodução


Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...