quarta-feira, julho 18, 2012

AO INFINITO....E ALÉM!!

Eu estava sonhando?
"Deve ser efeito dos meus remédios", foi a primeira coisa que me passou pela cabeça...
Mas não.
 Eu não estava sonhando, nem pesadelando (essa palavra acabei de inventar), meu marido realmente tentava me acordar, com certo desespero, diga-se de passagem. E a cara dele não era nada boa.
"Amor, a gente tá preso!"
" O quê?" Respondi sentando na cama sem entender absolutamente nada.
"Estamos presos, amor!" Repetiu meu marido.
Percebi que ele gesticulava e mostrava a porta do quarto. Com muita sabedoria , percebi que a porta do quarto estava realmente fechada.
Vendo minha cara de alguém que "tentava" aparentar normalidade, ao mesmo tempo em que transcendia para uma "outra" cara, esta um pouco mais atormentada, ele finalmente explicou o que tinha acontecido.Um dos gatos, provavelmente o Mustaphá, havia decidido brincar com o trinco do lado de fora da porta do quarto e nos trancou lá dentro. 
Eu sei que dizendo assim, parece um tanto quanto desconexo.
Explico.
Nós moramos em um sobrado com nossos cinco filhos, quatro gatos, uma cachorra e o Ozzy, nossa tartaruga centenária. Para evitar que os gatos entrem nos quartos, e deixem pêlos nas camas e blá blá blá, meu engenhoso marido instalou trincos que se encaixam quando puxados pelo lado de fora. Ao lado da porta do nosso quarto fica uma parte do corrimão que segue rumo a escada. 
Pois eis que o Mustaphá gosta de subir no peitoral do corrimão e ficar brincando com o trinco, dando patadas só pelo prazer mórbido do barulho do " tac tac", e nesta noite (fatídica) ele conseguiu encaixar o trinco pelo lado de fora da porta e nos manteve aprisionados.
" Fica calmo amor" disse, até porque eu não tinha mais nada pra dizer mesmo.
" Como a gente vai sair daqui amor? As crianças estão viajando, não tem ninguém pra abrir a porta pelo lado de fora!"
Fiquei com vontade de rir.
Que coisa mais engraçada! Estávamos presos no quarto por um gato!
Fiquei imaginando minha explicação no trabalho. " Então, ontem faltei porque meu gato me trancou no quarto, mas depois o corpo de bombeiros chegou e ficou tudo bem...
Mas meu marido estava com cara de filme de terror, balançando a porta com toda a sua força máscula, na tentativa de abri-la, nem que fosse por pensamento.
" Será que dá pra sair pela janela?" sugeriu.
" Naão amor. Tem tela no quintal, é alto, está chovendo, esquece." Tentei explicar tudo de uma só vez.
" A solução é fazer um buraco na porta e destrancar. Pega a tesoura e vai tentando com a ponta quebrar a madeira, essa porta tem duzentos anos, vai dar certo."
E ele pegou a tesoura e foi forçando um buraco na porta.
Depois de algum tempo, lembrou que tinha uma chave de fenda no quarto e continuou a forçar um buraco na madeira.
O que mais dava pra fazer? Gritar por socorro?
E eu lá, sentada na cama, só olhando." Consegui!! Fiz um buraco amor, agora vai..." Entusiasmou-se meu marido.
Levantei a sobrancelha, como quem diz " uau!!" mas continuei sentada na cama em posição contemplativa.
Depois de um período de tempo que não sei precisar, o buraco na porta já estava um pouco grande,tipo,  do tamanho de uma moeda, então lembrei de uma bengala que tenho no quarto, e que foi usada no auge de uma crise de coluna.
" Usa a bengala pra forçar e quebrar a madeira amor."
" É mesmo!!"
Muito tempo depois, fez-se o milagre.
E ploft. Foi-se a porta.
Meu marido enfiou a mão e destrancou o trinco.
" Estamos livres amor!!"
" Que ótimo!" deitei e dormi.
Meu marido foi trabalhar, e mais tarde eu também fui.
Não contei nada pra ninguém.
Quem iria acreditar?
Quanto ao Mustaphá...bem.... " A vingança não é uma coisa que cultivamos em nosso planeta" diria Buzz Lightyear.
E é muito feito ser vingativo.
E o importa, é que em nosso planeta não cultivamos a vingança.
Mas nós não estamos no planeta Mustaphóide, estamos?
Hummmmm.....




Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...