domingo, março 04, 2012

VIDA E CONSCIÊNCIA

Já postei que não tenho a menor vergonha ou constrangimento em assumir minha depressão e desespero em muitos momentos da vida.
E não é que eu passe por momentos depressivos, eu acredito que sou depressiva por natureza mesmo.Mas não vivo pelos cantos capengando, nem chorosa ou trancada em um quarto escuro. Ao contrário disso estou sempre de bom humor. E justamente por esse motivo desconfio dos otimistas. No fundo devem ser todos depressivos enrustidos. E não assumidos.
Pensa que é fácil assumir qualquer coisa nesse país? 
Gosto de pensar que estar entre os extremos é minha maneira de permanecer sã. 
Adoro saber que não me encaixo em nenhuma forma. Sou inteira em mim mesma. E se a minha maneira de ser gerar controvérsias, melhor.
O olhar do outro só me incentiva a continuar o meu caminho mais segura ainda, e não fujo do olhar alheio, pelo contrário, instigo essa curiosidade.
Se preciso de uma bala (receitada) pra ficar legal, qual o problema?? Muita hipocrisia desse povo enrustido se auto proclamar no direito de cingir o que é isso ou aquilo. Essa mania de julgar as coisas...
O fracasso(?) do outro estimula a própria aceitação de incapacidade.
Como transcender? 
Descobrindo formas de auto valorização!
Tudo o que não me faz bem, por conseguinte não me pertence.Resistir a tentação de parecer com o outro para ser adequado, se credenciar no direito de sentir prazer, tomar posse de recursos que tornem possíveis a minha aceitação e, por que não, a minha limitação. 
Sou única. E sou um ser pensante. Não fujo de uma boa discussão se esta valer a pena.
Caio um zebilhão de vezes e muitas delas demoro um pouco pra me reerguer. Mas me aguarde: vou levantar muito mais firme nas minhas convicções.
Alguém disse que "crescer é sentir o prazer de ser maior".
Assino embaixo.






Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...