quinta-feira, fevereiro 02, 2012

SOBRE MENINAS E LOBAS

Eu acho que estou meio sem assunto ultimamente e não ando conseguindo organizar minhas idéias. Provavelmente a culpa seja o regresso ao trabalho e às suas enfadonhas pessoas. Não vou rebuscar sobre as pessoas porque, acho insuportável essa ladainha falsa de que devemos mediar as palavras em ambientes politicamente corretos.
Entendo que devemos ser educados e, ser educado implica em não ser um falso purista, antes de mais nada. Com o passar do tempo, entende-se que as pessoas realmente importantes na sua vida são seus filhos. O restante todo passa. Inclusive os amores.
Não estou aqui sentenciando o amor, eu acredito nele e o respiro todos os dias, apenas creio que as expectativas que impomos no outro às vezes é um fardo pesado demais para ser carregado, frustra e condena.
Mas o amor dos filhos é livre de protocolos e isso o torna incondicional. Dessa maneira é perda de tempo ser excessivamente tolerante com pessoas sabidamente politicamente corretas. O termo por si só já é enfadonho.Acredito que perdemos muito tempo na vida sendo bonzinhos, dando sorrisinhos,  concordando com bobagens, apenas para corresponder ao ideal de outros.
Se eu tiver que ser boazinha serei porque esse é meu desejo, e apenas sorrirei se de fato achar algo engraçado ou por plena felicidade, mas nunca para ser simpática ou agradável.
Escrevi um texto a esse respeito e percebi que muitas pessoas ainda vivem na bolha da hipocrisia e insistem em mentir a si mesmo justificando esse comportamento com uma ética dúbia. Desde quando essa falta de controle sobre as próprias emoções e atitudes pode ser traduzido por ética?
O que separa a pessoa que você é da pessoa que você quer ser é apenas você mesmo.
Não é tarefa fácil ser fiel ao próprio sentimento, dizer não quando é tão mais fácil dizer sim ou defender pontos de vista contrários a maioria. Mas ser gente grande é complicado mesmo.
Muitas vezes não percebemos que, quase tudo o que sentimos é resultante do que pensamos.
Longe de mim defender atitudes grosseiras ou línguas incontroláveis, apenas prezo quem autentica sua fala e respeita, antes do próximo, a si mesmo.
Afinal quem não ama a si próprio e não se respeita está na condição amputada de amar e respeitar aos demais.


Photobucket

Imagem Reprodução Fade to Black

Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...