sábado, fevereiro 04, 2012

AS ALEGRIAS E AS MAZELAS DA MATERNIDADE

Criança é um ser exigente.
Exige atenção, exige carinho, exige comida na hora certa, exige proteção e a lista de exigências é tão longa que melhor é interromper por aqui.
Muitas famílias quando pensam em ter filhos imaginam sempre o lado lúdico da experiência: escolher nome, o enxoval, as lembrancinhas de maternidade, a decoração do quarto, as primeiras palavrinhas, o sorriso maroto e a alegria de ter um descendente ou manter a linhagem como os antigos preferem.
Porém, assim que a enfermeira traz o bebê para ser alimentado enquanto você está acabada de cansaço e sono, algo já dá sinais de que nem tudo serão flores daqui pra frente. Criança quando recém nascida costuma trocar o dia pela noite, e alguns casais já se desentendem nesse início. A mulher amamenta e por conta disso precisa acordar a cada duas ou três horas e, quando no dia seguinte não tem energia pra mais nada, incluindo pentear os próprios cabelos, espera que seu marido ainda assim lhe faça elogios, mesmo que lá no fundo ela saiba que não é bem assim. Mas alguns homens ignoram esse período e alegam que " não posso amamentar, então não tem sentido acordar durante a noite quando o bebê chora!", mas  a criança pode acordar por ter as famosas e temidas cólicas, o que qualquer um, homem ou mulher, pode consolar embalando e fazendo compressas com bolsas de água morna.
Mas quantos se dão conta disso?
Nesse período ainda surgem as visitas, parentes e amigos que vão levar lembrancinha e ver com quem o rebento se parece. A mulher está emocionalmente acabada, fisicamente esgotada e esteticamente desleixada. Mas os homens, em sua maioria, só se preocupam em exibir orgulhosamente a cria e bebemorar com outros homens. E isso não é boato, é fato.
A mulher nesse estágio se sente muito fragilizada, o peso extra adquirido na gestação custa a ir embora, o marido não sabe o que fazer com aquela pessoa que chora até com comercial de sabão em pó, e o bebê que inicialmente era apenas motivo de felicidade passa a ser um fardo, e é nessa fase que instala-se a depressão pós parto. Muitos vão alegar frescura.
Não é.
Há casos amplamente divulgados em que a mãe cometeu atos impensáveis contra a criança e até suicídio.
Claro que não se pode generalizar, mas os homens podem e devem redobrar a atenção dada a mulher nesses meses iniciais.
 E estes serão fundamentais para alicerçar as demais fases que se seguirão.

Photobucket

Imagem Reprodução: Because in addicted


Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...