domingo, dezembro 04, 2011

VALEU DOUTOR!

Antes de mais nada preciso esclarecer: sou são paulina.
Necessário esclarecer isso para que fique claro a minha isenção e imparcialidade nesse post.
Eu escrevo no mesmo instante que recebo a notícia durante transmissão do Brasileirão a cerca do enterro do ex jogador Sócrates.
Não conheci o Magrão, como era carinhosamente conhecido pelos íntimos, e tampouco me interessei em saber sobre seus passes incríveis ou toques mágicos de calcanhar, mas gosto das pessoas que, quando conversam, olham nos olhos e não falam como se estivem recitando um discurso decorado. E a grande maioria dos jogadores e ex jogadores falam desse jeitinho.
Ao contrário destes, assistir a uma entrevista de Sócrates era como abrir uma barra de chocolates do Willy Wonka e saber que podia encontrar o bilhete premiado dentro. Sempre podia haver surpresas. Suas palavras eram desapegadas de qualquer comprometimento com times, partidos políticos, business e merchandising afins.
Se não quisesse uma resposta sincera, então que não perguntassem coisa alguma, porque se tinha uma coisa que Sócrates não tinha, era rabo preso com seu ninguém.
Descobri hoje que o gesto do punho levantado após o gol, característica do ex jogador, não era um mero gesto comemorativo. Era o símbolo da contestação dos Panteras Negras. Sócrates o incorporou como uma maneira de deixar claro a não satisfação com situações e sentimentos nos mais diversos momentos dessa Nação Corintiana, como os Corintianos gostam de citar.
Aliás foi o Doutor Sócrates grande representante da Democracia Corintiana na década de oitenta, trazendo ao futebol uma forma de autogestão(inédito), aonde as decisões de concentração, regras de concentração, contratações, demissões entre outras coisas, passaram a ser decididas no voto, ou seja, com a participação de jogadores, comissão técnica e diretoria.
Posteriormente também ocupou lugar de destaque no palanque durante as manifestações pelo movimento das  Diretas Já, fato incomum para um jogador de visibilidade como era o magrão. Mas Doutor Sócrates era assim, tinha sobra de autenticidade e nenhum medo de se comprometer ou dar a cara pelo que acreditava.
Assim também viveu sua vida, intensamente e sem medo.
Não vou me ater a questão do provável alcoolismo que o acometeu, muitos falarão, melhor e com propriedade sobre o assunto, apenas só a pessoa corajosa que me foi apresentada.
Sendo assim, neste dia de final de campeonato, independente do resultado, decidi torcer pelo Corinthians. Não vou mudar de time, mas encontrei assim uma forma de prestar homenagem a pessoa otimista e que tinha  uma sede de viver incrível.
Pessoa essa que nunca associou sua imagem a propaganda de bebidas, cigarros ou afins.Pessoa essa que sempre opinou claramente e sem rodeios.Pessoa essa que vestiu a camisa da seleção brasileira muitas vezes quanto necessário, e que não fez de seu nome algo maior que as cores que sua camisa estampava.
E como cantou Toquinho:
 " E o futuro é uma astronave
Que tentamos pilotar
Não tem tempo, nem piedade
Nem tem hora de chegar
Sem pedir licença
Muda a nossa vida
E depois convida
A rir ou chorar...

Dizer mais o quê?



Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...