quinta-feira, outubro 20, 2011

CUPCAKES E JUJUBAS

Estava dando uma passeada pelo twitter quando me deparo com uma declaração da Lilian Pacce dizendo mais ou menos o seguinte " comendo um cupcake com meu filho..." e deste momento em diante desenvolvi a vontade, a curiosidade,  a futilidade(sim, porque o negócio nada mais é do que um bolo em miniatura) e a insistência de saborear o dito cujo. Fã que sou da Lilian, logo pensei " só deve ser coisa boa e chic".

A grande questã era aonde encontrar o tal cupcake, afinal resido em uma região aonde, tudo, absolutamente tudo, é provável existir, menos lojas grifadas dos Jardins e consequentemente cupcakes. Sim, nós temos o Anália Franco e seu shopping grifado (e lindo por sinal),, aonde compro meus creminhos da L'Occitane, mas cupcake sinceramente, nunca vi.

Mas eis que estou saindo do Shopping Penha, portanto meu bairro, e me deparo com um quiosque vendendo....cupcakes!!
Claro que eu não comprei, afinal estava sem máquina fotográfica, e precisava documentar o acontecimento. Quando voltamos, ainda sem a máquina, achei por bem não dar mole pro azar (vai que o quiosque fecha por falta de compradores?),  resolvi traze -lo pra casa dentro de uma caixinha delicada com todo o cuidado do mundo seguindo as recomendações da vendedora " não balança porque ele vira heimm!!"
Imediatamente, nem sei por quê, lembrei do saquinho de jujubas que habitavam o interior da minha bolsa a dias, não dando a mínima pro balanço.
Adoro jujubas!

Assim que entrei em casa e mostrei pra Gabi o conteúdo da caixinha, ouvi gritinhos de " você comprooou" ante o olhar estupefato dos meninos que nada entendiam.
Abri e " mãe, todo esse escândalo por conta desse bolinho??" me disse Pedro com incrível desinteresse. "Pera aí, bolinho uma pinóia, isso aqui é um cupcake, coisa fina!" e afastei a caixinha de perto, seguido de  um "Gabi, pega a máquina!"

Cada vez mais assustados, vi os meninos presenciarem todas as nossa caras e bocas ao lado do cupcake. Mas na hora de saborear esqueceram totalmente nossas bizarrices ante a gostosura do danado.
Minhas conclusões: o tal do bolinho é caro, paguei R$6,50 e ele mal cabe na palma da mão, é bonitinho demais pra ser comido e é tão fofinho que não mata e nem assusta a fome, mas deixa a gente bem na foto!









Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...