quarta-feira, setembro 21, 2011

CRIANÇAS ESPECIAS

Pesquisei na rede alguns blogs para melhor retratar o tema, mas percebi que a maioria carece de informação competente.
Alguns são extremamente religiosos (não é uma crítica, apenas constatação), e outros trazem informações confusas e de difícil entendimento.
O único que localizei com conteúdo de fato relevante, infelizmente está desatualizado segundo a própria autora, por falta de tempo, o que é bastante compreensível mas lamentável, porque realmente tem conteúdo educativo de grande importância.
Vou reproduzir aqui um de seus textos e, deixarei o endereço para futuras consultas enquanto vou buscar outras alternativas para auxiliar os familiares e amigos.E gostaria de acrescentar que, como disse a própria autora, somos todos especiais, pois cada um de nós é único.


Mães, não tenham receio ou vergonha de colocar seus filhos em tratamentos necessários!
Sempre que um bebê ou criança enfrenta uma dificuldade, quer seja motora (demorando a sentar-se, a engatinhar, a andar...), cognitiva (demorando a falar...), ou alguma deficiência em alguma parte do corpo..., é importante que a família, especialmente a mãe que é a principal presença na vida dos pequeninos, enfrente o problema de frente.
Nós mães temos muito receio de que alguém ou até mesmo nós próprias achemos que nosso filho tem uma deficiência.  Então quando nos deparamos com algum problema, como, por exemplo, atraso em alguma etapa do desenvolvimento, problema de saúde em alguma área do corpo..., resistimos a colocar a criança em tratamento.  Queremos acreditar que o problema passará sozinho, como se varrêssemos a poeira para debaixo do tapete, esperando que ela desaparecesse.
Em alguns casos, pode ser que de fato a criança consiga superar a dificuldade sozinha.  Mas na maioria dos casos, a ajuda de um estímulo ou tratamento correto pode ajudar muito, ou até mesmo ser imprescindível para evitar uma seqüela futura.
O bebê é um ser em formação.  Quando este tem uma área de dificuldade, a ciência já descobriu que o correto estímulo pode fazer com que o corpo de alguma forma se compense e consiga superar essa dificuldade, que de outra maneira poderia ser um estado permanente.  Isso pode ser feito em qualquer idade, quando por exemplo, existe um acidente ou doença.  Mas a capacidade de recuperação de um bebê ou criança pequena é infinitamente maior.  Essa descoberta propiciou a superação de muitos dos problemas através de tratamentos, como a fisioterapia, a fonoaudiologia, os tratamentos psicológicos, a orientação e estímulo pedagógico, e os estímulos específicos a alguma área do corpo com dificuldade, como a vista, por exemplo.
Mamãe, quando um médico ou especialista recomendar que seu filho faça um determinado tratamento, não reaja contrariamente.  A recusa em aceitar o conselho pode trazer grandes prejuízos futuros à criança.  Ninguém se lembrará se seu filho fez fisioterapia com 1 ano e meio de idade, mas os benefícios trazidos pelo tratamento serão sentidos por seu filho por toda a vida.



Acesse o blog:  http://rose_rj.e-familyblog.com

Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...