sexta-feira, junho 17, 2011

MULHERES CELTAS

Eu tenho uma amiga muito querida em São Tomé das letras (MG) chamada Bernadete, e ela é uma dessas pessoas raras que se tem a sorte de encontrar poucas vezes na vida.
A primeira vez que nos encontramos estava eu na condição de mera turista, e ela na de proprietária de uma pousada incrível.O detalhe é que eu não tinha grana nenhuma pra me hospedar naquele lugar e estava desesperada por sair da cilada em que havia me metido.
Explico.
Num final de semana estávamos eu e meu marido sem nada pra fazer e as crianças todas viajando de férias.Tínhamos um pouco de dinheiro no bolso e a cabeça cheia de planos.Começamos a fazer uma busca aliatória pelo google e de repente todos os caminhos nos levavam a São Tomé das Letras.Espiritualista que sou, olhei pro meu marido e decretei " Vamos pra São Tomé!".Graças a Deus que meu marido é tão louco quanto eu, o que sempre nos poupou de qualquer tipo de briga ou discussão inútil. Imediatamente me lembrei de uma amiga de muitos anos chamada Viviane que -achava eu- já tinha visitado São Tomé e seria a pessoa certa a nos indicar lugares para ficar, comer e tudo o mais.
Aqui abro um parêntese: antes de fazer o mesmo que eu fiz e embarcar, tenha a certeza de que o amigo consultado compartilha os mesmos sentimentos que você em relação a coisas básicas como "conforto", "higiene" e "lugar bacana pacas", caso contrário, assim como eu, você pode quebrar a cara.
O resumo da tragédia é que chegamos por volta das 05:30 da manhã na cidade, e depois de rodar perdidos pelas ruas de pedra, encontramos a "pousada super bacana" indicada pela Vivi: um corredor ladeado por portas de metal de onde podia-se ouvir todo tipo de som emitido pelo corpo humano e a preciosa vista de um quintal cheio de roupas estendidas e um cachorro que não parava de latir.
Por volta das 08:00 horas não conseguíamos mais suportar aquele lugar, além do quê mal cabíamos dentro do quarto oferecido.Havíamos optado pela acomodação + café da manhã e resolvemos, apesar de tudo, dar uma oportunidade a dona da pousada e provarmos o desjejum, o que viria a calhar pois estávamos famintos.E aí, mais uma surpresa: a tal senhora havia "perdido a hora" e não havia café nenhum para ser tomado.
Nem preciso dizer que a imagem da minha querida amiga Viviane sendo estrangulada era presença constante em minha mente.
Saímos por São Tomé procurando um lugar, qualquer um, que tivesse uma cama que não rangesse, um quarto aonde pudéssemos guardar nossas bolsas e alguém que tivesse uma feição mais simpática que a dona da tal maldita pousada.E vou dizer, se tem algo que sobra em São Tomé das Letras é pousada.
E estávamos assim, caminhando, quando meu marido de repente olha para uma janela florida e solta um mini grito " putz, é a pousada que vi na internet! lembra que antes da gente seguir a dica da Vivi eu tinha ligado e conversado com uma pessoa? Então, é a pousada dela!", pensei " bacana, mas e aí?", bom, fomos até o lugar e descobrimos que a proprietária não morava lá (o que é incomum), mas conseguimos o telefone e combinamos uma conversa.
E é aqui que a "mágica" começa.
Quando a Bernadete chegou foi logo nos abraçando e de cara já gostei dela.A questão é que, conforme ela ia discutindo os valores eu ia pensando que não tinha a menor condição de nos hospedarmos lá.E não tem nada a ver com ser caro, mas é que nós realmente estávamos totalmente desprevenidos e o nosso parâmetro era a tal da maldita pousada que ainda teríamos que pagar(sim, ela teve a cara de pau de cobrar uma estadia), isso sem somar café da manhã, almoço e jantar.Não dava nem pra trazer uma pedra de lembrança.
Vou me lembrar pra sempre do gesto que marcaria o início de uma amizade linda.A Bê me abraçou e disse mais ou menos assim " você precisa descansar, está muito esgotada mental e fisicamente.Fiquem o tempo que precisarem e me paguem o que puderem.Se quando vocês forem embora puderem pagar r$50,00 ótimo, se não puderem pagar nada, ótimo também.Quero que você descanse e não se preocupe com nada!", e chamando seu cachorro - parceiro- Nino, nos deu a chave de um chalé lindo, dicas de onde podíamos comer, um largo sorriso e foi embora.
Ficamos com cara de quem tinha acabado de tomar um golaço de chá alucinógeno.
Nem preciso dizer que voltamos outras vezes, inclusive com a nossa filha Gaby e sempre com destino certo: Alpha Centauris, esse é o nome da Pousada, mas você pode chamar de Paraíso também se quiser.





CASAS E CHALÉS COM SERVIÇOS DE POUSADA - São Thomé das Letras

CASAS E CHALÉS COM SERVIÇOS DE POUSADA - Aluguel por temporada



Eu adoro conversar com a Bê e na última vez que nos vimos o assunto foram as mulheres celtas.
Não acredito em coincidências, mas sim em sinais e, entre as tantas lojas de artesanato que "brotam" na praça central de São Tomé, foi uma pequena entrada que desde o começo chamou minha atenção.Lá comprei um Buda grande de madeira e um anel de prata. Esse anel é simples, rodeado de pequenos espirais, diferente de outros belíssimos com pedras e detalhes ornamentais, mas a ideia de tê-lo era fixa e não fui embora sem comprá-lo.Quando voltei a São Tomé carregava o anel no dedo e em uma noite a Bê tomou minhas mãos e olhando para o anel me perguntei aonde o tinha comprado.
Foi assim que descobri duas coisas: a primeira que o lugar é uma loja que vende produtos bárbaros e especiais porque pertence a Fundação Harmonia - um espaço sem fins lucrativos que visa o auto conhecimento, sendo todo o valor pago revertido em palestras, vivências, meditações, hospedagem, etc - e que teve entre as suas integrantes a própria Bernadete!E a outra, que o anel era celta, o que fez com que a Bê revelasse o seguinte " você conhece a história das mulheres celtas?" e frente a minha negativa disse " não posso revelar tudo a você, no momento certo vai surgir.O mais importante é saber que você, assim como eu, fossos mulheres celtas e daí vem essa força e essa bravura toda de que somos dotadas".
Nem me surpreendi.Na verdade já tinha ouvido isso de outra fonte, mas a sinceridade e a sensibilidade da Bê só fez aumentar minha admiração por ela.
A Bernadete largou uma vida estável em São Paulo, um emprego rico e privilegiado, viagens, carros e conforto pra se meter no meio do nada e ir viver num lugar sem amigos, parentes nem ninguém pra consolar nos momentos de dúvida e desespero.Recomeçou sua vida do zero só se guiando pela espiritualidade, pela simplicidade e pelas montanhas de São Tomé.Lá ela fez novos amigos, trouxe pessoas queridas pra morar junto dela, construiu sua pousada e abrigou tantos como eu. Lá também perdeu uma filha, foi quase desenganada e ainda assim manteve o coração quente, os braços sempre abertos, um sorriso no rosto e uma palavra de conforto a quem precisasse.
Eu me separei com cinco filhos pequenos, fui despejada, humilhada, perdi amigos, o crédito, e um pouco da minha sanidade também.Só não perdi a fé.
E foi assim que recomecei e reconstruí minha vida, encontrei meu amor, meus gatos e vi meus filhos crescerem pessoas de bem.Mantive apenas os amigos verdadeiros, três para ser exata, e fiz novos, entre eles a Bernadete.
Diz um ditado celta que " As mulheres gaulesas não se assemelham aos homens somente em sua grande estatura, mas também lhe são páreo em coragem", e eram mulheres que garantiam seu próprio sustento, eram excelentes amantes, donas de casa e mães.
É claro que fomos mulheres celtas Bê...

“Ama teu homem e o segue, mas somente se ambos representarem um para o outro o que a Deusa Mãe ensinou: amor, companheirismo e amizade.
Jamais permita que algum homem a escravize.
Você nasceu livre para amar, e não para ser escrava.
Jamais permita que o seu coração sofra em nome do amor.
Amar é um ato de felicidade, por que sofrer?
Jamais permita que seus olhos derramem lágrimas por alguém que nunca fará você sorrir.
Jamais permita que o uso de seu próprio corpo seja cerceado.
Saiba que o corpo é a moradia do espírito, por que mantê-lo aprisionado? teu homem e o segue, mas somente se ambos representarem um para o outro o que a Deusa Mãe ensinou: amor, companheirismo e amizade.
Jamais permita que algum homem a escravize.
Você nasceu livre para amar, e não para ser escrava.
Jamais permita que o seu coração sofra em nome do amor.
Amar é um ato de felicidade, por que sofrer?
Jamais permita que seus olhos derramem lágrimas por alguém que nunca fará você sorrir.
Jamais permita que o uso de seu próprio corpo seja cerceado.
Saiba que o corpo é a moradia do espírito, por que mantê-lo aprisionado?
Jamais permita que o seu nome seja pronunciado em vão por um homem cujo nome você sequer sabe.
Jamais permita que o seu tempo seja desperdiçado com alguém que nunca terá tempo para você.
Jamais permita ouvir gritos em seus ouvidos.
O Amor é o único que pode falar mais alto.
Jamais permita que paixões desenfreadas transformem você de um mundo real para outro que nunca existiu.
Jamais permita que outros sonhos se misturem aos seus, fazendo-os virar um grande pesadelo.
Jamais acredite que alguém possa voltar quando nunca esteve presente.
Jamais permita que seu útero gere um filho que nunca terá um pai.
Jamais permita viver na dependência de um homem como se você tivesse nascido inválida.
Jamais se ponha linda e maravilhosa a fim de esperar por um homem
que não tenha olhos para admirá-la.
Jamais permita que seus pés caminhem em direção a um homem que só vive fugindo de você.
Jamais permita que a dor, a tristeza, a solidão, o ódio, o ressentimento, o ciúme,
o remorso e tudo aquilo que possa tirar o brilho dos seus olhos a dominem,
fazendo arrefecer a força que existe em você.
E, sobretudo, jamais permita que você mesma perca a dignidade ser mulher."

Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...