sábado, novembro 20, 2010

A MÃE PERFEITA

03:25 horas

Olá meninos e meninas.
Aconteceu comigo.
Era sexta feira e eu tinha plantão as 19:00 horas, antes porém precisava passar na escola da Nina para assinar uma tal de requisição para garantia de uniforme escolar pela prefeitura para o ano de 2011.
Decidi que iria no final da tarde porque na volta da escola já iria direto para o trabalho.Sendo assim, por volta das 18:00 horas estava na secretaria aguardando ser atendida.
Fui recebida por um rapaz muito simpático que me parecia jovem demais para trabalhar em uma secretaria de escola infantil, mas de qualquer maneira, foi extremamente gentil e solícito.
Me perguntou o nome da criança e ao responder tive a certeza de minha filha era a única com o nome Nina Marie na escola.Não é um nome comum.
Quantas Nina Marie vocês conhecem?
Bem, a diretora da escola, por algum motivo que desconheço, resolveu continuar me fazendo perguntas:" em qual sala ela estuda? Qual o nome da professora?"
Eu realmente não sei qual é a sala da minha filha de 05 anos(segundo estágio A? terceiro estágio B?) e eu também não sei o nome da professora dela(sabia até o meio do ano, depois trocou, como vou saber??), e eu não tive dúvidas em assumir que não sabia!
Mas para a minha surpresa, apesar de o gentil rapaz já ter encontrado a tal requisição com o nome da Nina, a diretora indignada com o meu total desconhecimento da sala e da professora me olhou e tascou um " não acredito que você não saiba quem é a professora da sua filha!! Gente, mãe é mãe né?!"
Boquiaberta, só consegui pensar em mandá-la tomar um alguma coisa e lembro de ter balbuciado algumas palavras do tipo " tenho cinco filhos" e " estou indo para um plantão de 12 horas", mas o fato é que não consegui dizer o que queria.
Depois de refeita, a caminho do trabalho pensei: "carambola, o fato de eu não saber a sala ou o nome da professora me torna menos mãe?"
Eu não sei um monte de coisas.
Por exemplo,  eu não sei qual o número do calçado dos meus filhos.
A cada dia que passa o pé deles cresce vários centímetros, então quando eu digo 34 acabo descobrindo que já é 36.Prá que se torturar com isso?
Eu simplesmente olho embaixo do tênis para saber qual a numeração real ou pergunto para os meninos.
Eu não sei quantos centimetros tem a cintura das meninas.
Quem mede a cintura das crianças?
Eu compro pela numeração correspondente a idade.Por exemplo, a Nina tem 06 anos, então a numeração dela é a 8.E assim com todos os demais.
Eu nunca sei se os meus meninos tomaram banho ou não.Eu sempre espero que sim, mas não fico perguntando para pessoas maiores que eu se tomaram banho ou se escovaram os dentes.
Prefiro perguntar se levaram o lixo pra fora.
E eu não sei a sala de ninguem e muito menos o nome dos professores.
Como vou decorar a sala de cinco pessoas diferentes e o nome de professores que vivem entrando e saindo da escola?
"O professor de historia é o Adilson, certo?" " Errado mãe, o Adilson se aposentou" " Ah é, agora é a Joana". " Errado mãe, a Joana está de licença, veio uma substituta chamada Zoraide que já saiu e agora é o Silvio, mas só até a semana que vem, depois a Joana vai voltar".
É uma epopéia.
Desisti.
Mas a tal diretora resolveu que não sou uma "mãe" no sentido literal da palavra porque não sei dessas coisas.
Eu queria dizer a ela que não sou perfeita, mas as vezes conto estória para as meninas dormirem.Queria dizer também que costumo fazer gelatina de morango e bolo de caixinha, porque sei que elas adoram.Também queria explicar que sempre converso com os meninos e com a Gaby e que na minha casa o que não falta nunca, nunca mesmo, é diálogo. Se ainda houvesse oportunidade, eu gostaria de dizer que apesar de eu não fazer a menor idéia da sala ou do nome dos professores, as crianças vão muito bem na escola e que em todas as reuniões em que compareço só ouço elogios sobre eles.
E olha que eu nem vou a todas as reuniões.
São muito chatas.
Enfim, se depois de todas as minhas explicações, ela ainda não me achar uma "mãe" a altura de seus conceitos, só me resta pedir a ela que saia da frente da tv e de dentro da sua secretaria para conhecer pessoas reais, pessoas bem parecidas comigo.
Mulheres que sofrem de tpm, são histéricas, peruas que se deliciam com revista de moda e coleções completas de Freud.
Pessoas que trabalham, são mães, mulheres, esposas e que não sabem de todas as coisas.
Mulheres como eu.
Porque na vida real, dona diretora, as mães não são perfeitas.
E alíás, graças a Deus que não somos perfeitas.
Quem pretende ser perfeito deve ser chato a beça.Insuportável mesmo.E ridículo.Muito ridículo.
Igualzinho a diretora.

Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...