sábado, novembro 06, 2010

EPIFANIA

Daí que eu me lembrei do quanto sou grata.
Lembrei de uma noite em que uma excessão foi aberta.
E essa excessão me levou até você.
Daí que eu sou uma pessoa muito metida a intelectual e crítica ferrenha de toda forma tecnológica social moderna de comunicação - leia-se internet- mas numa noite qualquer essa minha indiferença foi vencida.
Essa pessoa que vos fala, andava cheia de toda hipocrisia barata, de relacionamentos idem, carecia de esperança.
Carecia de você.
Ainda me lembro da primeira vez que te vi: sorriso escancarado e um chinelo no pé.
Aquele mesmo que,  hoje,  você ainda usa depois de um longo dia de trabalho.
Ainda me lembro do seu jeito desengonçado de tentar abrir a garrafa de vinho- comprada para me impressionar- e do seu embaraço ao constatar que o abridor não veio junto com a garrafa.
Mas a sua habilidade para empurrar a rolha adentro foi sensacional.
A mesma com que,  hoje, você me serve em nossa  mesa rodeada por nossos filhos.
Ainda me recordo de nossa primeira noite juntos: seu olhar de amor, suas mãos em meu rosto, seus dedos no meu cabelo.
O mesmo olhar que vi esta manhã quando cheguei cansada do trabalho, antes de me aconchegar no teu peito e sentir suas mãos a percorrer meus cabelos.
Lembrei da primeira vez que ouvi você me dizer "eu te amo", olhando fixo pra mim.
As mesmas palavras que você repete umas nem sei quantas vezes por dia e durante a noite, e em todo lugar a cada vez que me olha ou que fala comigo.Uma loucura.
Aliás, somos completamente loucos.
Um pelo outro.
Lembrei também dos planos que fazíamos de um dia dormir e acordar juntos todos os dias.
E hoje renovamos nosso desejo de sempre sermos um só,  todos os dias em que adormecemos e acordamos ao lado um do outro.
Fazemos planos e nos imaginamos em nossa rede, com nossos filhos correndo pelo gramado da nossa casa. Aquela mesma que ainda sonhamos comprar.
Você diz que todos os seus dias são dedicados a mim.
Pois a você dedico minha vida.
Lembrei de quando cozinhava pra você e do quanto você gostava disso.
A mesma alegria com que hoje você senta em nossa mesa barulhenta pelo riso de nossos filhos e pela bagunça de nossos gatos.
Ainda amo suas sardas.
Você ainda ama meu cheiro.
Nós saímos pra jantar e conversarmos sobre o nosso dia.
Você me conta as tuas alegrias e eu choro no teu peito as minhas tristezas. E eu ouço as tuas tristezas e você sorri com as minhas alegrias.
Nós sempre caminhamos de mãos dadas.
Eu sempre faço cafuné na sua cabeça enquanto você empurra o carrinho do supermercado ou carrega as compras da feira.
Você sempre beija meu rosto na fila do cinema.
Eu amo sua inteligência, sua integridade e o seu caráter.
Você sempre diz que tem orgulho de mim.
Eu amo o seu sorriso aberto.
Você ama minhas palavras malucas.
Eu adoro acordar domingo de manhã do seu lado e saber que não temos hora pra sair de cama.
Você sabe que eu adoro rir como criança. Criança que nunca deixarei de ser.
E você sabe que é só nos teus braços que me torno mulher.
Eu adoro ouvir a sua voz.
Você adora ouvir a minha respiração.
Eu amo sua calmaria.
Você admira minha indignação.
Eu adoro quando você me abraça no meio da noite, exatamente igual a primeira vez.
Você ainda ama minha massagem nos seus pés cansados e meus dedos percorrendo suas costas.
Eu simplesmente adoro quando você diz que me ama pra caralho. É tão lindo..
Eu que sempre queria entender de tudo, hoje entendo que não preciso de explicação pra tudo na vida.
Só preciso de você.
E daí me lembrei porque tenho gratidão.
Tenho gratidão pela noite em que falei com você a primeira vez da maneira mais inusitada possível, e pude conhecer o homem da minha vida.
Tenho gratidão pelo homem que consegue amar tantas pessoas da maneira mais pura que existe.
Tenho gratidão por ter você.

Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...