segunda-feira, junho 28, 2010

O Rock e eu






Olá meninos e meninas.
Quase recuperada de uma virose que começou com duas anãs(minhas filhas) e terminou em mim. Ontem, esta ruiva caiu da escada de sua própria casa, o resultado é um cotovelo ralado e uma bunda doendo que possivelmente ficará roxa. Mas valeu pelos paparicos...
Muito bem, hoje resolvi falar sobre música. E vou contar com a presença de um correspondente muito especial. Meu marido. Como ele entende muuuuito mais que eu sobre música, vou recorrer a sua memória para este texto.
Sou uma pessoa apaixonada por música desde sempre. Uma das primeiras coisas que ouvi na vida foi The Police, banda criada por Sting, Andy Summers e Stewart Copeland. Me lembro de cantar "Roxanne" e " Every Breath you Take " entre outras, sem parar. Adorava e ainda ouço as mesmas canções tão empolgada quanto. Tenho um vinil até hoje, mas inexplicavelmente, nenhum cd.
Depois do The Police veio Joy Division que terminou com o suicídio do vocalista Ian Curtis e respingou no New Order.
Quem nunca ouviu The Pretenders? A voz de Chrissie Hynde ainda embala qualquer festinha animada. Eu também ouvia The Cure, U2, The Smiths, Jesus and Mary Chain, Bauhaus, Duran Duran, e as minhas preferidas: Echo Et The Bunnymen, Siouxsie and The Banshees, Midnight Oil ,Dead Kennedys.
ys e B52.Ainda dá para citar muitas outras bandas que marcaram época como Guns'n Roses, Cindy Lauper, Prince, Sig Sig Sputnik e Tears for Fears.
Nessa mesmo período, embora não fosse dos anos 80, comecei a ouvir Pink Floyd e me apaixonei pela sonoridade desta banda inglesa. O album The Dark Side of the Moon, Wish You Were Here e The Wall foram aclamados mundialmente. Aliás, trago no pulso direito a partitura de Wish You..., e o que lamento é que quando descobri Pink Floyd, ele já estava acabando. Em 1983 depois de The Final Cult o grupo separou-se. Nem vou mencionar ou me atentar ao fato de que Roger Waters decidiu resgatar a banda depois de acordo judicial. E nem ao fato deles terem se reunido pela última vez em 2005 em Londres, porque depois desta data Richard Wright morreu e com ele o sonho de um possível retorno. Ainda hoje Roger Waters inventa de se apresentar e cantar os clássicos da banda, alguns acham o máximo, eu acho deplorável. O cara se apresenta em nome de um grupo que não existe mais e faz pior, canta as músicas. É muito piegas. Mas é a minha opinião.
Eu também curtia muito ouvir Supertramp, era muito bacana os vocais e a música é gostosa, dá vontade de cantar junto. E aí me apaixonei pelo camaleão do rock, Sr David Bowie. Os cabelos, a maquiagem, a performance. Tudo perfeito. E além disso ainda tinha as canções. Era um ser totalmente andrógino. Para mim, Ziggy Stardust é autobiográfica. Ou não?
Claro que conheci Bowie com Let's Dance em 1983, mas isso é mero detalhe.
À partir daí, comecei a introduzir músicas um pouco mais "apimentadas" eu diria. Passei a ouvir The Clash, Ramones, Sex Pistols, Van Halen, Metallica e uma de minhas preferidas: The Cult.
Minha vida mudou. Passei a usar cabelo moicano, calças rasgadas ( com a faca da cozinha,mas ninguém sabia),botas coturno e mini saias camufladas. Era o início do fim. Depois raspei a cabeça de vez e mantive o coturno. Introduzi casacos pretos pesados e maquiagem idem para acompanhar. Se me chamavam de Dark( os Emos de agora) era briga na certa. Minha turma de amigos, incluia roqueiros e punks. Meu namorado usava uma crista e tinha o carinhoso apelido de galo. Mas foi a época mais divertida da minha vida....
E claro que eu também ouvi Janis Joplin, Led Zeppelin, Hendrix e tudo mais. Estou apenas citando o que mais me marcou. Meu ouvido com o tempo foi ficando mais seletivo, e meu cabelo mais comprido também, com pequenas recaídas ao longo do tempo, e aprendi a ouvir Nina Simone, (que eu adoro) Sinatra, (que eu idolatro),e também conheci Emily Wells e outros tantos.
Também aprendi a ouvir Heavy Metal e conheci várias bandas, cito algumas: AC/DC, Black Sabbath, Kiss, Dio, Deep Purple, Iron Maiden entre outras tantas. E preciso confessar. Adoro um gritão rouco e uma guitarra pesada. Eu adoro o som pesado do Metal, é uma energia visceral que me arrebata. Mas aprendi a discernir e a entender um pouco sobre tudo isso com meu marido, e fico babando quando ele cita álbuns, canções e datas com a precisão de um historiador. Uma das coisas que mais gostamos de fazer é ficar deitados na nossa cama ouvindo rock ' roll. Conversamos sobre as músicas, ele canta as letras e eu com o meu inglês chulo tento ir no " yes, no no no...".
Espero que os meninos e meninas que leram tenham gostado e que, se não conhecem, busquem conhecer algumas música das pessoas e bandas que citei. Vale apena. E para quem não gosta ou não entendeu nada: Its only Rock'n Roll Baby.
Um beijo Meninos e meninas.Yeahh!!


Você pode gostar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...